colaboração

Livro de artista formado por nove ensaios, este trabalho articula links entre tecnopolítica e meio ambiente para desvelar forças operantes na silicolonização do mundo. O ensaio tem início com um vídeo gravado no dia da posse de Bolsonaro, quando apoiadores gritam “Whatsapp, Whatsapp, Facebook, Facebook” como forma de ataque a um repórter televisivo. O mal-estar contido nessa manifestação popular, em que as redes sociais ganham um status de contrapoder informacional íntimo, levaram à investigação dos diversos aspectos simbólicos dessa devastação ainda em marcha: do meio ambiente, das relações políticas e da identidade de um país.

+info