–––––grafia


“E, por baixo, a realidade prima
Tão violenta, que ao tentar aprisioná-la
Toda imagem rebenta” 
(João Cabral de Melo Neto)








––––grafia é um livro de imagens acidentais, feitas – ou quase feitas – com luz, pixels e textos.

A obra nasceu a partir de dois ciclos que se chocaram durante o auge do confinamento da crise sanitária de 2020. Primeiro, uma rotina de leitura obsessiva, em que passei a emular na literatura o sentimento de casa perdida desde a chegada na Espanha; notei que tinha uma prática inconsciente de destacar quando a fotografia dominava a narração, criando um álbum oculto dentro desse amontoado de livros que transporto de um lado a outro. Segundo, a inundação do meu ateliê provisório, em que perdi parte significativa de negativos, ampliações e fotografia artesanal; ao organizar as perdas e revisitar minha produção, sem poder sair de casa, me dei conta de que uma sucessão de erros se repetiam nos mais distintos formatos (pinhole, cianotipia, 35mm, emulsão líquidas, polaroides, fotografía digital), e talvez ali havia algum rastro do que não encontro.

Esta obra é então um exercício de revelar essa incompletude da representação. De certa forma, evidencia minha própria relação com a natureza das imagens. O livro foi montado num quarto escuro, pois a capa encapsula todos esses “quases” e todas as impotências da nossa vã tentativa de controle. Feita com meus próprios papéis fotográficos, expirados nesse tempo de transição (porque não encontrei nada para fixar ali), agora seguem sua vida sendo alterados pelo tato e pela luz do entorno de quem manuseia o livro na tentativa de reconhecer nas imagens fragmentadas e nessas fotografias descritas algo que não existe no meio físico.

E se as fotografias que tentei aprisionar e me escaparam não explodiram apenas por acaso, mas sim porque este é destino de todas as imagens? Na imagem vive o engano.


















Livro de artista | Edição de 10 exemplares

Impressão offset, 208 páginas, color, 28x15cm 
Textos em português, espanhol e inglês.
dez. 2020

Projeto & concepção: Francele Cocco
Design gráfico: Eugenia Salama
Revisão: Lucas Pretti
Encadernação artesanal no estúdio de Mercè Soler
Impressão: La Bibliogràfica
Agradecimentos: Lurdes Basolí, Jacqui Barrowcliffe
e Espai d’Arts Roca Umbert


Capa em papel fotográfico sensível a luz que se transforma a partir do manuseio do leitor.
Todas as fotografias deste livro, em distintas técnicas e suportes, foram feitas entre os anos de 2008 e 2020.
Os textos foram retirados de livros que li durante outubro de 2019 e junho de 2020.









.