posers

Part of the research:
History & Capital









[work in progress]



serie fotográfica, 2019
3 daguerrotipos, 4 x 5 pol.

reproduzir los gestos popularizados por los smartphones en mi el propio cuerpo (usando un exoesqueleto narcísico, inspirado en los aparatos utilizados en el siglo 19), obligándome a quedar inmóvil por varios minutos en la sustentación de las poses que normalmente responden a la instantaneidad del dispositivo tecnológico de los días actuales. 





“A fotografia transformava o sujeito em objeto, e até mesmo, se é possível falar assim, em objeto de museu: para fazer os primeiros retratos era preciso submeter o sujeito a longas poses atrás de uma vidraça em pleno sol; tornar-se objeto, isso fazia sofrer como uma operação cirúrgica; inventou-se então um aparelho, um apoio para a cabeça, espécie de prótese, invisível para a ojetiva, que sustentava e mantinha o corpo em sua passagem para a imobilidade: esse apoio para a cabeça era o soco da estátua que eu ia tornar-me, o espartilho de minha essência imaginária.”


Roland Barthes, A câmara clara.









.